A Ilha da Árvore Perdida, de Elif Shafak

Toda árvore tem seu fruto. Da macieira com suas tentações ancestrais, suficientes para nos expulsar do paraíso, à figueira comum com seus frutos inusitados carregados de simbologia entre o erótico e o sagrado, dependendo do olhar e, sobretudo, da quem está olhando... Uma história no...

Continue lendo

3 melhores livros de Anne Tyler

O cotidiano é um espaço comum para todo ser humano. Das portas interiores de cada casa, despojados do disfarce do momento, as personagens que somos passam a ter mais certezas de existência. E Anne Tyler dedica seu trabalho a esse tipo de introspecção mais completa, aquela que ...

Continue lendo

Senhor Wilder e eu de Jonathan Coe

Em busca de uma história que aborde esse universo que se desdobra nas nascentes relações humanas, Jonathan Coe lida com o requinte dos detalhes mais introspectivos. Isso sim, Coe não pode abandonar aquela preciosidade detalhada que contextualiza com as mais completas descrições. A partir de …

Continue lendo

A dança e o fogo, de Daniel Saldaña

Reuniões podem ser tão amargas quanto uma segunda chance no amor. Velhos amigos se esforçam para recuperar um espaço que não existe mais para fazer coisas que não pertencem mais. Não por nada em particular, só porque no fundo não satisfazem, mas simplesmente procuram ...

Continue lendo

Pais Distantes, de Marina Jarre

Houve uma época em que a Europa era um mundo desconfortável para se nascer, onde as crianças vinham ao mundo em meio à saudade, ao desenraizamento, à alienação e até ao medo dos pais. Hoje o assunto mudou para outras partes do planeta. A questão é ter essa visão ...

Continue lendo

Heaven Above the Roof, de Nathacha Appanah

Quem mais que menos lançou uma lágrima com as aventuras de Marco em busca de sua mãe. Desta vez, a idade do protagonista, Lobo, o aproximaria de um Holden Caulfield (sim, o famoso adolescente niilista de Salinger). E o fato é que também a figura da mãe ...

Continue lendo

Seven Tuesday, por El Chojin

Toda história precisa de duas partes se quiser encontrar uma espécie de síntese, que é do que se trata em qualquer quadro que se aventura no território da mímica emocional. Não se trata de destacar este tipo de narrativas duais diante da primeira pessoa. Porque também ...

Continue lendo

Desaparecido, de Alberto Fuguet

Há momentos em que a linguagem acompanha uma história com a leveza mais precisa. Porque a busca por um desaparecido não requer lírica ou artifício. A sobriedade narrativa faz desse caminho de reencontro pessoal uma composição de verossimilhança e proximidade para nos aproximar de todos ...

Continue lendo

erro: Sem cópia