Livros que você precisa ler antes de morrer

¿Qué mejor título que este? Algo leve, ligero, sibilinamente pretencioso. Antes de morir, sí, mejor cuantas menos horas previas para espicharla. Es entonces cuando cogerás sua lista de leitura obrigatória y tacharás el superventas de Belén Esteban, ese que cierra el círculo lector de tu vida… (era broma, una macabra y puñetera broma)

No es para menos lo de hacer bromas al respecto de esta entrada, porque el título me lo acaba de sugerir otro bloguero también dedicado a escribir sobre libros. E são tantas listas e comparações na internet que para mirar no topo não há outra opção a não ser agredir o leitor médio e dizer: ei, amigo! Você sabia que não pode vencê-lo sem ter lido esses 3, 5 ou 15 livros?

Así que allá vamos con mi particular experimento de literatura extrema. Extrema porque… ¿Quién cojones iba a buscar en Google: «livros para ler antes de morrer» Se você não tem perspectiva de se entregar à última viagem?

Eu só espero que você tenha um pouco de tempo para me atender. Se você tiver algumas horas antes de sair do fórum, levará apenas alguns minutos para se perder aqui.

Y ya luego te tumbas en tu lecho para enfrentarte a las lecturas imprescindibles. Unas lecturas que no te asegurarán el cielo, pero que sí, al menos, te suministrarán a goteo el paliativo intelectual de tener los deberes bien hechos. Así disfrutarás de la agonizante razón como un narcótico reconciliador, antes de salir de aquí hecho todo un Quixote, reluciente y esplendoroso hacia la última y única lucidez de tu vida.

Os livros essenciais da história da literatura

Os braços da minha cruz

eu sou o caralho Limite de Paco y te voy a recomendar mi libro, que para eso hemos venido. Se trata de una ucronía en la que Hitler nos cuenta lo que fue de su vida una vez que escapó del búnker. El tipo infame, el hombre devorado por su némesis…

Nunca escrevi algo assim e nunca mais escreverei. Porque o meu é mais o romance de mistério, ficção científica, histórias e divagações malsucedidas do escritor fracassado. Aquele que apesar de tudo continua gostando de digitar como um anão (com dez dedos, como os grandes. Nada a ver com aqueles analfabetos digitais com dedos indicadores ágeis). Um placebo solitário autoadministrado na frente do computador, vendo como personagens e enredos nascem e morrem. Se isso não significa ser um escritor acima de qualquer outra coisa, Deus venha e diga.

E se meu livro estiver terminado e você achar que não vale a pena ler antes de morrer, será porque você passou mais tempo entre suas páginas. E então você pensará em relê-lo para esticar seu tempo de vida em novos minutos que se tornam eternos entre página e página. E então você vai me agradecer por prolongar seus últimos dias. E esses serão os 5 euros mais bem investidos da sua vida.

Os braços da minha cruz, Juan Herranz

Já está? Sim, como diria o ejaculador precoce que nunca conheci, é isso. Hoje não me apetece continuar a aproximar-vos dos melhores livros da história, talvez amanhã... Boa viagem.

taxa de postagem

Deixe um comentário

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.