Os 3 principais livros de Jared Diamond

A capacidade de divulgação é uma virtude para que grandes pensadores ou cientistas, de qualquer área, acabem se aproximando de cenários que a princípio parecem muito distantes pelo técnico ou pelo abstrato. Autores gostam Eduard Punset u Oliver Sacks são dois exemplos extraordinários em cuja bibliografia encontramos aquele gosto sintético do leitor, aquela explicação próxima, metafórica e analógica.

Jared Diamond es outro daqueles grandes comunicadores que acabam atingindo muitos leitores com preocupações antropológicas das mais básicas às mais sofisticadas. E sua magia está na plena convicção um do outro.

Nada é mais antropológico em essência do que o estudo da Evolução. Nada que possa abranger tudo em termos de mudanças evolutivas em primeira instância e resultando em fenômenos sociológicos, religiosos ou políticos do que a abordagem desse movimento constante da civilização humana que está moldando todos os espaços do mais individual ao coletivo.

À medida que os seres humanos se adaptam ao seu habitat e fazem desse ambiente um lugar preeminente para suas espécies, tudo o mais se desenvolve em uma comunidade que já tornou o planeta aquela aldeia global comparável a um vale ocupado pela primeira. Humanóides interagindo na Terra .

Pode parecer pretensioso, mas Jared Diamond realmente sabe narrar esse processo tão variado e prolongado no tempo com detalhes profusos e sintéticos (vale o paradoxo). E, claro, essa fonte de conhecimento é amplamente utilizada por especialistas e inquietos. Então, se você quiser se aproximar de um autor muito completo de literatura científica. Você está no lugar certo.

Os 3 principais livros recomendados por Jared Diamond

Armas, germes e aço

O mundo para um ser humano atual, daquele lado do mundo rotulado de "ocidental" (talvez em um gesto etnocêntrico enlouquecedor que busca estender uma parte geográfica do planeta a tudo que se adapta à sua idiossincrasia), é um conjunto de características conhecido e presumido por todo o mundo.

Nossos padrões são o que são e deles vemos o mundo. Talvez seja por isso que, para sair de um foco que remonta a muitos séculos, Jared Diamond nos leva de volta a milhares de anos antes que nosso modo de vida fosse um sonho utópico remoto, ou distópico, dependendo de como você o encara. E encontramos o ser humano despojado do suposto refúgio confortável do estilo de vida atual.

Talvez seja perturbador começar a descobrir aqueles homo sapiens sapiens que finalmente evoluíram para características totalmente eretas.

Ainda mais quando descobrimos como algumas sociedades foram orientadas para a exploração mais básica dos primeiros recursos agrícolas e pecuários, enquanto outras usaram a força mais atávica para se tornarem os primeiros guerreiros de atividades como a caça.

A evolução foi marcada pela força ou pela inteligência nascente para o controle dos recursos? O destino traçado até hoje surgiu de um equilíbrio de forças entre o que a Mãe Terra ofereceu e o que o homem passou a compreender em sua relação com seus semelhantes.

CLIQUE NO LIVRO

Colapso. Por que algumas sociedades perduram e outras desaparecem

O antigo mito dos maias ou dos incas abandonando seus territórios mais emblemáticos nos quais mais tarde suas construções são descobertas.

Falta de recursos ou extinção devido a algum mal endêmico? É apenas um exemplo das causas que levaram à prosperidade de algumas civilizações e à extinção de outras. A peste negra ou a gripe espanhola atacou com força quando as diferentes comunidades europeias já começavam a interagir.

Mas essas fases foram superadas graças a algum tipo de vacinação natural que evitou a catástrofe, uma evolução defensiva específica. Hoje, os desafios climáticos, ecológicos e biológicos ainda existem, e talvez nós mesmos facilitemos a pandemia.

As leituras do passado são sempre interessantes para considerar possíveis desvios atuais. Jared Diamond nos leva de uma civilização a outra, com as conjecturas e certezas sobre seu destino final.

CLIQUE NO LIVRO

O mundo até ontem

Ontem podemos não ser tão diferentes. A essência da nossa civilização é caracterizada por impulsos, emoções, pela racionalização e pelos sentidos. As diferenças se estabelecem no que nos rodeia, quase sempre um ambiente artificial atualmente no qual estruturamos nosso mundo mais subjetivo do que nunca.

A partir dessas premissas, Jared Diamond fala sobre nossa situação atual. Ver-nos como essencialmente idênticos ao que éramos pode nos libertar dessa concepção armada do acessório, e não do fundamental.

Os estudos do autor sobre diferentes civilizações que ainda vivem longe daquele mundo globalizado hoje servem à causa de uma consciência que vai do espiritual ao sociológico.

A maneira agradável como este autor consegue abordar as ideias mais profundas sobre o antropológico acaba por salpicar aspectos terrenos como a educação, a velhice, espaços nos quais é sempre importante recuperar aquela noção do essencial para acabar por recuperar horizontes perdidos que eles nos redirecionam para a felicidade e nossa convivência equilibrada com o mundo despojado de tantos aspectos supérfluos.

CLIQUE NO LIVRO

Deixe um comentário

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.